10 dicas para o papai participar dos cuidados do recém-nascido até os 6 meses

Já notei que, quando o nenê chega, é normal o pai se sentir meio deslocado, sem uma função certa na paternidade. Isso, em grande parte, é porque o recém-nascido basicamente mama e dorme. Ou seja: ou ele está dormindo ou no colo da mãe mamando. Sem contar que, muitas vezes, a mulher está cansada e, não raro, de mau humor. E o pai? Como fica? Afinal, ele não tem os “equipamentos” para amamentar.

Especialmente no comecinho, é um pouco mais complicado que o pai se sinta “participante” da nova rotina da casa. Já falamos disso aqui. Mas os pais podem ajudar, e MUITO, não só com os cuidados com o nenê, mas também com a mãe e a casa. Além de criar e fortalecer seu vínculo com seu filho, você dará uma força e tanto para a nova mãe, que, com certeza, está cansada: amamentar dia e noite é delicioso, mas também muito cansativo. Ela provavelmente passa por vários perrengues, como não conseguir tomar banho direito, não conseguir ir ao banheiro. Limpar a casa, fazer comida e lavar uma louça tornam-se tarefas épicas. Parece que os nenês têm um radar: quando a mãe resolve fazer qualquer coisa, eles o ativam e começam a chamar por ela, hehe. Não é mole.

Isso sem contar toda a pressão que cai sobre de nós: se o nenê está mamando bem, os inconvenientes dos bicos rachados, conseguir satisfazer as próprias expectativas e de quem está ao redor. Confira algumas dicas para participar mais e também aliviar a vida de uma mãe cansadinha e preocupada:

1. Perca o medo. Seu filho não vai quebrar se você pegar ele no colo. Pode parecer bobo falar isso, mas é verdade.  Ele não vai escorregar quando você der banho ou cair quando estiver no colo. Você vai pegá-lo com todo o amor que existe em você. Por isso, não há risco nenhum.

pai e bebe

2. Ajude nos cuidados com o bebê. Existem muitos outras tarefas além de amamentar. Você pode dar banho, segurá-lo enquanto ele dorme, colocar para arrotar, trocar fraldas e roupas. Como já disse, não precisa ter medo. Se não souber como, peça que sua companheira ensine, ela o fará com prazer. Assista a ela dando banho, trocando as fraldas, se interesse e aprenda para poder fazer também. Aventure-se. Ter filhos é uma aventura das grandes! Saiba mais sobre como: trocar fraldas, banho no chuveiro, fazer dormir.

3. Assuma a responsabilidade de fazer compras. Tudo bem que você deteste ir ao mercado. Mas, além de não ser bom ficar zanzando por aí com um bebê recém-nascido, fazer compras com ele também é de matar. Você já deve ter reparado na epopeia para sair com o nenê: roupas, fraldas, bolsa, coordenar o tempo do sono do nenê com a fome dele e o tempo de mamar. Some a isso o tempo no mercado, as compras para carregar e nenê para cuidar. E, claro, quando você está de saída, o nenê faz cocô e fica melecado até os cabelos. Bora começar tudo de novo. Você estará sozinho, provavelmente voltando do trabalho. É mais prático, rápido e conveniente para todos assumir essa responsabilidade. Se não tiver prática, peça a ela uma lista. Com o tempo, você pega o jeito.

4. Colabore nos serviços da casa. Não precisa ser um mestre em prendas domésticas. Arrumar a cama, tirar o lixo, lavar a louça e evitar fazer bagunça, como não largar as roupas pela casa, já está de bom tamanho. Se quiser ajudar mais, você pode tirar o pó dos móveis e passar um pano no chão. Pode ter certeza, não é frescura, ela não tem tempo para isso. Há prioridades: amamentar o nenê que está chorando de fome ou lavar louça? Dormir um pouco porque passou a noite em claro ou limpar a casa? O que nos leva ao próximo tópico:

5. Dormir sem culpa. Não você. A mãe. Crie um ambiente para que ela possa dormir sem se culpar por isso. Não reclame coisas do tipo: a casa está bagunçada, você não têm se arrumado, estou com fome, etc. Pode ter certeza, ela está fazendo o melhor que pode. Um bebê exige atenção em tempo integral. Isso significa que ela está cansada, pois seus horários de sono têm que se adaptar ao do bebê. Isso significa, muitas vezes, acordar a cada duas ou três horas à noite, ou até de hora em hora. Se o nenê sentir cólicas, ou ficar doentinho, pode significar nem dormir. Tenha muita paciência nesse sentido.

6. Organize as visitas, filtre telefonemas e problemas. Importantíssimo, especialmente nos primeiro dias. Converse com sua companheira para saber o que ela deseja em relação às visitas e faça o máximo para coordenar as coisas seguindo o que ela precisa. Atenda e filtre os telefonemas. Não precisa mentir: diga que ela está dormindo, amamentando, cansada ou o que for. Também a apoie no que ela resolver em relação ao bebê. Se você discordar da posição dela, tudo bem, mas converse isso apenas entre vocês. A família e os amigos dão muitos palpites e a mãe se sente, muitas vezes, pressionada e incomodada com isso, especialmente se for o primeiro filho. Comentários maldosos e críticas, idem: nem passe adiante. Nesse momento não importa se a sua mãe teve 6 filhos e criou todos muito bem. Sua mãe teve a vez dela. O mesmo com a sua sogra. Eles agora são avós: agora é a vez da sua companheira, por isso você deve dar suporte e apoio à ela. Nesse momento, o que vocês precisam é de paz e tranquilidade para criar um ambiente gostoso para vocês e o bebê. É a vez de vocês aprenderem. Ajuda é sempre bom, mas dentro de certos limites, e o limite é o conforto de vocês. Se você perceber que sua mulher está incomodada com os palpites, movimente-se para ajudar a solucionar a situação.

7. Incentive-a a cuidar um pouco de si. Significa se antecipar ao que ela precisa, no mais simples e básico do cotidiano de uma pessoa. Se o nenê está com fome, pergunte a ela: “quer que eu pegue ele enquanto você faz alguma coisa rápida antes de amamentar?”, “Vá tomar um banho relaxante, se nosso filho acordar, eu fico um pouco com ele”, “Hoje o jantar é por minha conta, não se preocupe”, “Venha jantar, se ele acordar, eu fico com o pequeno”. Muitas vezes, esperamos ansiosamente vocês chegarem do trabalho para descansarmos um pouco, tomar banho, comermos com tranquilidade (ou até mesmo conseguir comer algo).

8. Não seja o fiscal. Não fique fiscalizando os cuidados dela com o bebê. Não seja mais um a pressionar. Isso significa: não ficar checando o tempo todo se o nenê engordou; se ela estiver com problemas relacionados à amamentação se a pega está correta; ficar comentando o quanto a criança fica “pendurada” no seio. Ela já tem um monte de fiscais: pais, sogros, cunhados, irmãos, amigos, vizinhos, o desconhecido na rua (e não é exagero). Trabalhe com ela, é menos estressante e muito mais produtivo. Você pode fazer isso perguntando a ela como se sente, do que precisa para se sentir melhor, se informar e buscar uma solução para o problema que ela possa estar enfrentando. Seja o ombro, o companheiro.

9. Evite pressionar para ter relações. Dê a ela o tempo dela. Além de ter parido recentemente, há os hormônios, o cansaço e, não raro, preocupações. Se necessário, seja paciente com a sua companheira e dê tempo para as coisas assentarem. Se você se sentir incomodado, converse com ela para saber o que está acontecendo, mas sem pressionar ou cobrar. Provavelmente você vai ouvir que as atenções, agora, estão voltadas para o bebê. É a mais pura verdade. E logo o bebê ficará um pouco mais independente e demandará menos cuidados. Procure ser generoso: ele não está roubando o seu lugar, mas no momento é a prioridade da casa.

10. Elogie. Ela provavelmente está cansada, sem tempo para se arrumar, talvez ainda não tenha emagrecido todo o peso que ganhou na gravidez. Calma, as coisas vão se ajeitar. E colaborar para que a autoestima dela fique em alta só vai ajudar a acelerar o processo. Isso é diferente de falar para passar batom ou colocar uma roupa mais ajeitada. É simplesmente falar que ela é linda. Lembre-se que essa mulher está um pouco mais “sem graça” porque está se entregando de corpo e alma para cuidar do filho de vocês.

 

Anúncios

4 pensamentos sobre “10 dicas para o papai participar dos cuidados do recém-nascido até os 6 meses

  1. A primeira eu to me preparando desdo dia que fizemos o teste junto e deu positivo , desde esse dia eu já to com medo de como vou pegar elezinho quando nascer só de pensar eu fico tremendo .
    O segundo item bate com o quinto nos dois primeiros meses como “desabafei” em outro post não vai rolar mesmo hehehehehe.
    O resto o que eu não estou fazendo estarei logo após o nascimento

  2. Pingback: Dicas para um recém-pai sobreviver à sua esposa, após ter filhos! - Just Real Moms - Blog para Mães

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s