Como trocar fraldas

Todo papai já deve ter ouvido a pergunta: “E aí, já sabe trocar fraldas?”

Bem, pais, na minha opinião, as fraldas nem são o mais difícil. Vai comparar uma fraldinha cagadinha fedida com o choro incessante do bebê com cólicas ou colocar as roupinhas no recém-nascido (especialmente os homens que têm as mãos grandes). Ah, agora ficou mole encarar a bendita fralda fedorenta fedegosa.

Mas atenção, papai! A troca é importante! Se bobear, uma das coisas mais importantes da vida da criança. Só você se colocar no lugar do baixinho (ou baixinha): você gostaria de ficar cheirando xixi? Cheio de cocô? Com as partes baixas molhadas, ardidas ou com coceira (assadas)? Não dá, né?

E pode falar, você nunca pensou que ficaria tão feliz – e orgulhoso – de abrir uma fralda e ver um belo cocozão!

Para saber o que é a tal assadura, você pode ler o final deste texto.

A cor do cocô da criança também é bem importante. O primeiro cocô do nenê chama-se mecônio e é bem escuro, quase preto. Às vezes demora um dia ou dois dias para acontecer, às vezes acontece na barriga da mamãe (e pode causar complicações, por isso normalmente os médicos fazem uma cesárea, mas falamos disso outro dia).

Nos primeiros meses, as fezes da criança podem ser de várias cores: bem amarelas, de um verde meio esquisito ou até um pouco amarronzadas, e sempre meio líquidas com uns gruminhos ou cremosas. Depende bastante da alimentação do bebê: se ele só mama no peito, se ingere outros alimentos e quais alimentos. O que não pode é cocô durinho (tipo bolinha) ou avermelhado (tipo uma geleia de morango). Se for tipo bolinha, o bebê está com uma prisão de ventre danada e sentindo muita dor para defecar, normalmente chora. Se for tipo geleia, as fezes estão com sangue. Nos dois casos é importante falar com um pediatra o mais breve possível.

O recém-nascido chora para trocar a fralda, por isso não precisa se apavorar. É que ele não sabe o que está acontecendo.  Mantenha a calma e peça licença para limpar e mexer no seu filhote. Isso mesmo, peça licença! Que negócio é esse de mexer nas partes de alguém sem avisar? O nenê é pequeno, mas é muito gente! Mesmo se ele estiver muito nervoso, converse calmamente com o bebê e vá falando o que está fazendo. Com o tempo, a troca de fralda será um momento de farra de vocês.

Então bora pro passo a passo da fraldinha fedida fedegosa! (Só entre em acordo com a mãe sobre o uso da pomada, isso varia muito, ok?)

Quando trocar: Sempre que o bebê fizer cocô ou quando a fralda estiver fofa (com xixi). Dica: Se o bebê começar a fazer cocô, espere uns 10 minutinhos para trocar. Sempre vem mais. Agora, quanto aos recém-nascidos, não adianta. É só abrir a fralda para eles começarem a trabalhar. O Enzo é especialista em fazer um cocô voador! Por isso, paciência e vá brincando com o baixinho enquanto isso…

  1. Abra a parte de baixo da roupinha. No caso do macacão, suba o máximo possível.
  2. Abra a fralda. Se for só xixi, vá para o passo 4.
  3. Pegue um lencinho umedecido e tire o grosso do cocô.
  4. Pegue um algodão umedecido e limpe o bumbum. Use quantos precisar.
  5. Pegue outro algodão e limpe o xixi. Também use quantos precisar.
  6. Com uma fraldinha (eu sempre deixo uma pendurada no trocador e troco todo dia ou dia sim, dia não) seque muito bem o bebê com leves batidinhas. Não esfregue a fralda na pele fina e delicada do bebê.
  7. Passe uma fina camada de pomada na bundinha. Não precisa lambuzar a criança: a ideia é que o cocô escorregue, sem grudar na pele. Se houver alguma parte vermelha, pode passar também.
  8. Coloque a fralda nova e arrume as roupinhas de volta.

NUNCA, JAMAIS, EM TEMPO ALGUM, passe o mesmo algodão/lencinho do bumbum na parte da frente, especialmente se você tiver uma menina. Você irá contaminar a vagina ou pênis da criança com as bactérias do bumbum. Isso pode provocar uma infecção urinária.

Fraldas trocadas e bebês felizes,  fico por aqui!

E você, tem alguma história divertida para contar? Quais suas dificuldades, como pai?

Anúncios

2 pensamentos sobre “Como trocar fraldas

  1. Pingback: Vou ser pai! E agora? | E o papai, tá perdido?

  2. Pingback: 10 dicas para o papai participar dos cuidados do recém-nascido até os 6 meses | Papai, tá perdido?

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s