Sexo durante a gravidez

Você olha para sua mulher e cada dia ela fica maior. A barriga não pára de crescer. O rosto, cada vez mais diferente, arredondado, o nariz inchado. E entre as quatro paredes você fica meio atrapalhado?

Não se preocupe, isso é mais normal do que você imagina. Enquanto as mulheres precisam lidar com as mudanças em seu corpo, rosto e libido, os homens precisam lidar com o fato de que suas companheiras estão se tornando mães e que seu corpo (e muitas vezes, também o rosto) se modificam dia após dia.

Só para deixar claro, o homem não machuca o bebê, ok? O pequeno está bem protegidinho, não sabe o que está acontecendo e, se bobear, vai até gostar do balanço e receber um pouco dos hormônios de relaxamento liberados pela mãe.

Mesmo com isso esclarecido, pensar na companheira como mãe pode ser broxante. Afinal, a referência que você tem de mãe… é a sua mãe! Se a sua companheira é mãe agora, deve ser respeitada. Como você vai fazer falar sacanagem com pra ela? O psicólogo Tiago Lupoli explica que “o homem tende associar a gestante à mãe, tem aquela coisa romanceada e poética de mulher que gera uma vida. Ele pode se sentir intimidado e inseguro sobre o que fazer perante àquela figura materna, pois, para ele, a mulher grávida precisa de proteção”. Claro que há os mais desencanados e uma pequena parcela fetichista que se excita com a gravidez. Mas boa parte dos homens encana com o assunto e não conversa com ninguém.

Do outro lado, a mulher precisa enfrentar enormes modificações e pode se sentir insegura, feia, um barril. A indiferença do companheiro no que se refere ao sexo não ajuda em nada, sem contar que passar tantos meses sem nenhuma relação pode afetar o relacionamento do casal.

Claro, há mulheres que perdem completamente a libido, outras dizem que ficam com nojo do companheiro, outras que ficam carentes, querendo mais carinho que sexo. Ou tudo junto.

A verdade é que não importa de qual lado a coisa está ficando esquisita. Não dá para escapar. Para resolver, só com conversa. Lupoli explica que “o casal precisa conversar, discutir a relação fazer uma DR mesmo, para que ambos exponham o que sentem. Ouvir é uma troca do casal que estimula a cumplicidade”. Se a conversa não surtir nenhum efeito, o casal pode conversar com o obstetra, um psicólogo ou algum casal com o qual tenham intimidade e que já tenha passado por uma gravidez.

Agora, já que não tem jeito e vai rolar a DR, confira algumas dicas para que tudo aconteça com mais facilidade:

  • Pense sobre o assunto, descubra o que está acontecendo com você. Quando sabemos os nossos sentimentos, tudo fica mais fácil.
  • Escolha um bom dia. Nada de resolver falar do assunto no meio de uma briga ou num dia em que um dos dois estiver mal-humorado;
  • Se resolver conversar sobre o assunto, vá de peito aberto. Escute o(a) outro(a) e não dê espetadas ou indiretas;
  • Seja franco e diga tudo o que pensa, porém de forma gentil e carinhosa. Pense nas palavras que vai usar – grávida é um bicho sensível;
  • Lembre que a conversa pode ser dolorosa, mas é importante que o carinho e o respeito sejam recíprocos;
  • Procure por um entendimento, um acordo entre o casal. Esse acordo não precisa acontecer na hora, vocês podem parar a conversa para pensar e retomar o assunto depois de uns dias e com a cabeça fresca.

*foto: www.sxc.hu | www.garrisonphoto.org

Anúncios

Um pensamento sobre “Sexo durante a gravidez

  1. Pingback: Vou ser pai! E agora? | E o papai, tá perdido?

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s